sexta-feira, 15 de maio de 2009

Ana Lúcia (para minha professora)

Ela parou e olhou.
Ela chegou, jogou as coisas, deitou, dormiu.
Pensou, sonhou, acordou.
Comeu, lavou-se e despertou pra mais um dia.
Trabalhou, trabalhou e trabalhou.
Voltou, jogou, deitou... não pensou nem sonhou.
Acordou, banho, trabalho, trabalho, mais trabalho.
Voltou, deitou, dormiu, acordou.
Trabalhou, trabalhou, trabalhou.
Voltou, não comeu, deitou, tentou dormir, não conseguiu.
Levantou, respirou, não pensou.
Saiu de casa, sem comida a dois dias sem comer.
Trabalhou, trabalhou, cochilou, foi demitida, chorou.
Na rua sua respiração parou, viu ele, e seu batimento recomeçou.
Respirou, coração pulou. Amou, amou, amou.

6 comentários:

  1. AI essas Anas...
    O mundo pode estar desabando, mas o amor cura tudo! Rsss

    Muito belo seu poema ;)

    ResponderExcluir
  2. Rotinaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!
    mt bom....me vi no texto!rs
    bjus

    ResponderExcluir
  3. O começo teve um pouco haver, quando eu trabalhava na TRW.

    Um coments sem ter haver com o texto!!

    qual seu email la do orkut ??hehehe não consigo te adicionar, isso se vocÊ deixar né!!!??

    ResponderExcluir
  4. É bem verdade, um amor cura tudo, as dores, as angústias, os medos e até mesmo as interminaveis rotinas. Odeio rotina!!!!!! Bjs

    ResponderExcluir
  5. "amou amou amou"
    acho que essa parte compensou tudo :]
    Beijão

    ResponderExcluir
  6. http://www.orkut.com.br/Main#Profile.aspx?rl=mp&uid=18252972730516943630

    meu perfil ai!!
    bjos

    ResponderExcluir