segunda-feira, 6 de julho de 2009

Livre(?!)



'Eu podia jurar que você é a única coisa que me importa. Sou uma boa mentirosa.
Do mesmo jeito que querer não é poder, poder não é querer.'

Bate na minha porta o desespero de saber das coisas.
As vezes o bom mesmo é não saber de nada.
Mas no momento, saber foi a melhor solução, apesar do desespero nisso, veio junto com ele o alivio, a liberdade. Quando não se sabe das coisas, você se ilude, acredita no que acha que é certo, acredita no que você quer, mente pra si.
Agora que sei, é hora de mudar.



"E se foi se jogou num mar aberto de ilusões e as ondas te acertaram..."

3 comentários:

  1. amei o texto. eu lembro que quando eu tinha a sua idade (eu tinha acabado de completar 14) eu escrevia poesias e eu tinha um blog chamado Voando Além. um dia, eu cansei dele e simplesmente exclui. sem salvar nenhuma das minhas poesias. tinha mais de 30 poesias lá :| mas eu não me arrependo.
    beijos.

    ResponderExcluir
  2. HUm o amor...
    escrever é bom alias é otimo !
    leva os sentimentos embora como a queda de uma cachoeira.
    lindo seu texto.
    jornalismo na area de redação seria perfeito pra voce. pense nisso.
    beijos e boua tarde!

    ResponderExcluir
  3. oie tudo bem?!

    como vc esta?
    passando pra desejar feliz dia dos amigos atrasado rsrs

    otima tarde bjuz

    ResponderExcluir