sábado, 26 de junho de 2010

Batimentos repetidos. Fazem sempre o mesmo som. Agridem meus ouvidos.

Aprendi com meus erros que nem sempre errar é aprender.
Porque se pra te ter tive que errar, só o que recebi foi uma grande queda, e um grande vazio no final de tudo.
Não que eu e você fosse um grande erro. Não que eu tenha errado em estar contigo, ou você tenha errado comigo. O que você fez não foi um grande erro, foi uma demonstração de como seria o fim.
Mas errei ao acreditar em tudo que acreditei - e você sabe bem no que eu acreditei.
Não resta mais amor. E quem disse que amar é sentir falta, estava enganado.
Sinto sua falta sim, e sei que não te amo, porque mesmo sentindo sua falta não te quero mais aqui.
Não tem mais espaço pra você em mim. Só saudade já ocupa muito tempo, muita coisa, e muitos batimentos no meu corpo. Não quero sentir nada mais além da saudade, quando se tratar de você.
E se a saudade puder ir embora, fique a vontade. Não sinta-se em casa. Ela tem o direito de ir e não vir.
Então que vá. Que vá pra longe quando quiser.
Engulo sua falta do mesmo jeito que engulo a saliva que vem à tona todas as vezes que quero dizer frases que não se formulam e que tento falar coisas que simplesmente não saem dos lábios pra fora.
Engulo a saudade que sinto, a saliva dentro da boca, e as palavras que me seguro pra não dizer.

Se fosse pra dizer eu acabaria gritando, E BEM ALTO, em meio a tudo e todos: "VÁ TE FODER!"

E depois? Depois eu engoliria a raiva, regularia meus batimentos, e viraria as costas. Assim como virei ontem quando te vi. E sairia andando, pra nunca mais voltar.

Mas já estou longe suficiente.

FOTO: http://weheartit.com/entry/2756808

3 comentários:

  1. Quisera eu estar no estágio de sentir apenas a saudade.
    Mas sei que ao contrário de você, eu sinto a falta dele porque o amo.

    ResponderExcluir
  2. As vezes pessoas importantes que eram amor, viram só saudade; simples saudade. Mais um espaço vazio no coração, que pode ser preenchido com um novo amor.

    ResponderExcluir
  3. É preciso ser calejado para lidar bem com a falta. Não sei se é possível enfrentar isso com valentia se não for suficientemente forte, considerando que a outra pessoa, em algum momento, foi importante pra gente. Vejo que - em que pese o fato de tu ser nova - és forte, ou pelo menos calejada, ou talvez as duas coisas. É bom saber.

    ResponderExcluir