domingo, 27 de junho de 2010

Tudo tem desandado - Março - Desespero

Quantas lágrimas terei que derramar pra que você entenda? Quantas vezes terei que fingir que está tudo bem, até que você veja o sofrimento nos meus olhos? Será que você poderia olhar em meus olhos? Por favor, olhe em meus olhos! Veja que não está tudo bem. Que droga!
Tenho que ser forte, tenho que aguentar a maldita dor.
Odeio essa dor, odeio mais ainda essa mistura de medo e orgulho que me impede de falar pra ti as minhas verdades.
Odeio, mais do que tudo, que você não olhe em meus olhos, e não veja, com seus olhos, o quão errada minha vida tem estado.
Odeio que não veja que estou cansada.
Cansada, principalmente, de duvidar de você.
Estou cansada de desconfiar e de ficar imaginando onde você esta, todo instante.
Onde você esta? Onde estas? Cadê?
Cadê o sentimento que você afirmou habitar sua alma?
Cadê a segurança e confiança que você me passou?
E, se você não queria só à mim, por que não disse antes? Por que não?
Pra que pedir por algo sério se destruiu tudo? Que há contigo?
Cansei, odeio isso tudo e não está nada bem!
Mas continuarei tentando e torcendo pra você não errar.
Porque nem eu sei o tamanho da dor que você pode me causar se falhar comigo.
Nem eu sei o quão mal eu posso ficar.
E eu imagino.
E só de imaginar, a dor me sufoca.
Te imploro, não erre comigo. Seja verdadeiro.
Não prometa coisas que tu não conseguira cumprir.
Porque estou cansada.
                                E tudo tem desandado. 


~~~~~


Texto escrito em março, logo após o primeiro erro. Agora já sei o tamanho da dor, e já estou tomando os remédios pra passar...  

Nenhum comentário:

Postar um comentário