sábado, 12 de fevereiro de 2011

Texto sobre minha raiva. nº1

Não sei mais o que eu faço. Droga! - me repito - Droga. Não sei o que fazer.
Antes quando você bebia muito você só me amava mais. Você me ligava a hora que fosse e me dizia coisas fofas e eu derretia com tua fofura e tua voz enrolada. Agora não.
Droga. - sempre digo - Droga!

Agora você bebe e vem me dizer o quanto meus amigos são uns merdas. É isso mesmo?
Agora você bebe pra me dar notícias nada agradáveis e rir? Bebe pra me deixar infeliz? Bebe pra chegar em casa, ligar a merda do computador, entrar no mensseger e acabar de vez com meu dia?
Me xinga dez vezes seguidas mas nunca ouse, nunca, xingar um dos meus amigos. Quanto menos todos.
Eles são minha história, meu passado, meu presente e meu futuro. São eles que estavam ali quando eu nem te conhecia, garota tola. Não sou um brinquedo não. Muito menos um animal de estimação pra fazer tudo que você quer na hora que você quer e depois ainda ter que ouvir você xingando as coisas que eu tenho mais preciosas. Meus amigos são tudo, porque é pra eles que eu vou reclamar de você quando você me ferrar.
E droga! - como sempre dizendo - Que droga, guria, eu não queria ter de reclamar de você. Mas você faz por onde.

Droga!

Nenhum comentário:

Postar um comentário