quinta-feira, 10 de março de 2011

Pra ti, açucar.

“Deixa eu brincar de ser feliz, deixa eu pintar o meu nariz.”(LH). Mas nosso carnaval ainda nem começou, então não precisa ter fim. Não agora, não ainda. Deixa você voltar; deixa você voltar e colocar um pouco de açúcar no meu café, e no meu dia. Deixa você voltar e a gente rir a toa e comer chocolates olhando pro mar. Podemos tomar um vinho, fumar um cigarro, ouvir uma música. Volta que eu tento te fazer um pouco feliz. Vai, nem que seja por três segundos. Te conto qualquer piada besta e tento fazer você dar uma risada. Volta que a gente faz nosso carnaval. Não precisa de máscara nenhuma, eu gosto do teu rosto. Gosto das tuas palhaçadas e teu jeito de guria descolada. Nosso carnaval também não precisa de fantasia, não precisa nem de roupa se você quiser, não precisa de nada. Basta eu e você. A gente faz o que for, só pra ter um dia doce, depois de tantos cafés amargos.

2 comentários:

  1. Queremos tanto tirar um sorriso da pessoa amada que nos anulamos,ou ao menos nos fazemos felizes com pouco...Mais é o jeito que encontramoa pra adoçar a vida não é ?

    ResponderExcluir
  2. E eu posso, eu adoço sim o teu café. Chega de coisas amargas, porque tudo, quando doce, fica muito melhor.
    O café mais doce que tem é o que náo precisa de açucar, só de gesto.
    E como é bom querer tanto o teu gesto!

    ResponderExcluir