terça-feira, 24 de maio de 2011

E logo tu! (de aniversário)

Pregos, vários pregos, centenas deles. Martelos pregando os pregos. A pele, muito sangue, muitos gritos. Muitos pregos sendo pregados na pele de quem gritava jorrando sangue. Muito sangue, eu gosto de sangue, sangue pra caralho jorrando feito água de cachoeira. Maldita. Maldito tudo que já te fez mal. Maldita seja eu, se já te fiz mal. Bendita seja vós, que com toda tua tristeza consegue sorrir. E que tristeza o que? Tristeza o cassete. Essa a gente manda se ferrar e ignora. Sabe bem como lidar com as "tristezas" que te aparecem, tu. Tu que, eu conheço bem, e que sempre ficas triste. Alegria não dura muito não, mas a tristeza também não fica. Tu choras, choras feito neném, aí se choras! Choras e te abraço. É tanta coisa! Tanta coisa aí dentro, aqui fora, aqui no meio. Entre nós tem um turbilhão de momentos, pensamentos, sentimentos, e tantas outras coisas que, Jah que o diga, nem nós sabemos direito o que. Lembra dos teus dias. Lembra dos teus dias e ri. Ri vendo que tudo se resolveu, hora ou outra, e se não resolveu, passou. Lembra dos dias que tu brincava com o pessoal da tua rua, que tu subia em árvore, que tu jogava bola na escola, cantava nos treinos de basquete, jogava pra cassete nos campeonatos, me fazia bolar aula pra ir na cidade vizinha jogar. Ri e lembra de quando você reparou que gostava mesmo de gurias, de quando você me contou isso numa caminhada voltando pra casa, na rua Campos de Bury com a Maj. Loretti, em Sv, eu ri e falei "e aí?" e tu ficou meio assustada pensando que eu ia achar algo insano, mas na verdade, achei a coisa mais normal você me dizer aquilo. Eu to pronta pro que vier de ti. Lembra do show em 2008 quando nos "re-encontramos", Fresno, um dos (se não O) melhores shows que já fomos juntas. Lembra das gurias que tu amou e desamou. Das que tu namorou e "separou". Dos que tu gostou. Dos que te gostaram. Lembra dos teus textos, do coração tatuado no peito, das nossas primeiras tattos, Alexandra, Twody, Banheiro Mexicano, e todas as tuas e (algumas) nossas histórias. Lembra das nossas músicas, das nossas brigas, dos nossos abraços. Lembra dos nossos choros, dos nossos tudos e lembra que TU É MUITO FODA.
Porque tu é e fim. Sem argumentos que eu precise utilizar. Tu sabe que eu te acho foda. Sabe que tu é especial pra mim. Sabe que eu te amo mais até do que deveria. Te amo MUITO. Por você daria a vida sem pensar 1 vez. Fica sempre tudo tão bem.
E logo tu, com todas as marcas, nunca deixando de sorrir... e logo tu, deu pra ser minha melhor amiga, e que seja sempre.
Feliz aniversário, pseudo-adulta, Lays Camargo. Lakinhas (L)

Te amo @lacas_c

Um comentário: