quinta-feira, 2 de junho de 2011

Quarenta passos

Você caminhava na minha frente, uns trinta passos de distância, uns trezentos batimentos numa corrida. Não corri, mesmo tendo esses trezentos batimentos pela frente; preferi tê-los lentos, como todos os outros. Quarenta passos agora, você apressou os teus, eu diminui os meus. Hesito, vendo você ir embora. Ficas tão bonito visto assim, caminhando. Nem pareces tu. Não que não sejas lindo, mas és tão simples que não pareces.
Você é complexo. Quarenta passos e nada pra me fazer parar de te olhar indo embora. Eu caminhava logo atrás, pra não te perder de vista e te via passando por toda sua vida, sem se importar com a minha.

Um comentário: