quarta-feira, 3 de agosto de 2011

"Não conheço mentira mais abjeta do que a expressão com que se aliciam as crianças: “Mente sã em corpo são.” Quem disse que uma mente sã é um ideal desejável? “Sã” quer dizer, neste caso, tola, convencional, sem imaginação e sem malícia, arrebanhada pelos estereótipos da moral estabelecida e da religião oficial. Mente “sã”, isso? Mente conformista, de beata, de tabelião, de securitário, de coroinha, de virgem e de escoteiro. Isso não é saúde, é tara. Uma vida mental rica e própria exige curiosidade, malícia, fantasia e desejos insatisfeitos, isto é, uma mente “suja”, maus pensamentos, floração de imagens proibidas, apetites que induzam a explorar o desconhecido e a renovar o conhecido, desacatos sistemáticos às ideias herdadas, aos conhecimentos manipulados e aos valores em voga."

— Mario Vargas Llosa - retirado do livro “Os cadernos de dom Rigoberto”.

Um comentário:

  1. É o sistema zumbi tentando comer parte do nosso cérebro.
    Alienação da mídia. Mente sã tem quem não toma esse veneno.

    ResponderExcluir