quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Fogos de Artifício e um ano não tão novo.

Na cidade em que vivo, toda noite de réveillon, eu e minha família vamos até a praia e observamos a queima de fogos. Santos é um lugar maravilhoso, onde mesmo debaixo de muita chuva as luzes estouram no céu e iluminam o novo começo. É como um livro novo a cada ano, uma história com vários capítulos em que no final do ano(eu sempre) fecho, guardo no armário e abro outro, limpo, pra escrever uma nova história.
Quando eu chego na praia, nessas noites de "ano novo", costumo pular sete ondas com minha prima, jogar algumas rosas no mar, acender umas velas, tomar uma coca-cola bem gelada e sentar numa canga até as luzes se apagarem, quando é meia noite, pra novas luzes se acenderem. É como um intervalo de 1 minutos em que ainda(mentalmente) não é nem um ano nem outro. Os ultimos 5 minutos do ano que vai passar se mistura com 5 minutos do ano que virá e eles formam a ponte entre um ano e outro, um livro e outro. E quando os fogos de artificio estouram nós todos nos abraçamos e pulamos, erguemos nossas taças, brindamos o novo! O novo romance, o novo ano escolar, o novo emprego, o novo apartamento ou apenas o novo dia. Brindamos com esperança de que as coisas mudem, melhorem, que tudo seja sempre evolutivo.
Em 2011, ano que passou, eu constatei a minha falta de fé. Falta de fé em deus, falta de fé nas pessoas, falta de fé nas coisas e até em mim por algumas semanas. E na virada de 2011 pra 2012 eu reparei que minha falta de fé me deixou sem esperança alguma de que as coisas mudassem.
Esse ano houve um problema com os fogos de artificio, e justo no local em que eu estava, eles não queimaram. E aquela sensação que eu sentia ao ver os fogos queimando bem acima de minha cabeça, e me fazia as vezes chorar de emoção, por mais uma chance de fazer tudo de novo e acertar, não veio. Eu não pude sorrir e imaginar um novo começo, um novo ano maravilhoso, com coisas e pessoas novas. E quando eu olhei pra cima e me deparei com o céu vazio, aquilo me enxeu de vida, de certeza, de calor. Percebi que por mais que o ano seja novo, as coisas não precisam mudar. Porque dessa vez, pela primeira vez, esta tudo bem.


Feliz Ano! Feliz vida!

Um comentário:

  1. Coisa linda, Rha!
    Nem sempre é preciso mudança pra evolução!
    Feliz ano novo!
    "Tamo junto!"

    ResponderExcluir